14.6.17

[Resenha] Conan - O Bárbaro

Autor (a): Robert E. Howard
Editora: Generale
Ano: 2012
Lido em:  março de 2017
Nº de Páginas: 362
Onde Comprar: SUBMARINO

 CONAN, O BÁRBARO narra uma aventura do herói insano da fantasia. Com Conan você não pode esperar cenas diplomáticas, mata qualquer um que se meta em seu caminho quando decide destruir alguém.
 Foi muito difícil concluir essa resenha pois o enredo me foi, por boa parte do tempo, incompreensível. Constatei que a obra não é para alguém que desconhece o cimério, é para os fãs que não possuíam suas aventuras em formato de livro aqui no Brasil. Perceber isso me causou um tremendo desconforto, fiquei sem saber a sua origem, o que fez Conan adotar sua atitude violenta e paranoica, tive que aceitar o que era mostrado, tive que tentar entrar no clima e me apegar as cenas presentes e esquecer o passado que não me foi entregue. 😓
 Nessa obra topamos com um inimigo imortal que foi adormecido há 3 mil anos. O seu nome: Xaltotun.
 Xaltotun foi acordado por um grupo de homens que querem usá-lo com o único fim de tomar o reino de Aquilônia que tem, lógico, como rei o Conan. Na história, é de compreensão geral que para se ter uma chance de destruir o cimério tem que apostar em magia, só assim para parar esse bárbaro que não tem medo de enfrentar ninguém e usa a vontade a sua força descomunal para esmagar qualquer cabeça!
 No início da trama temos um panorama geral da guerra da Nemédia contra os aquilonianos. É possível localizar Conan no contesto dessa guerra e qual papel ele tem na trama sangrenta que se arrasta faz anos.
 Durante uma batalha Conan é acometido por um mal-estar e não pode lutar, o seu exército perde e todo o seu reino quebra. A partir dai começa a saga do cimério para esmagar silenciosamente todos aqueles que conspiraram para ter Aquilônia.
 Não vou dizer que não gostei de Conan, com o seu temperamento forte e brutal pois ele me rendeu várias cenas sangrentas! A força dele foge da nossa realidade, nenhum ser humano pode ser assim, mas o autor tenta mostrar uma criação peculiar do personagem para justificar sua força inumana. Por debaixo de todos os músculos Conan possui um coração bom e isso se reflete ao salvar uma guria da morte e libertar escravos de uma embarcação.
 A edição ainda nos delicia com outros dois contos desse bárbaro que eu torcia para que um deles contivesse a origem do cimério, mas infelizmente não têm, são outras aventuras a parte.
 Para quem não sabia existem adaptações cinematográficas de Conan e a presente obra possui perto do seu fim cenas da película de 2011 que foi a que assisti anos atrás e que me deixou ciente da existência desse cimério valente.
 Com páginas amareladas, a obra tem a capa do filme de 2011, capítulos relativamente grandes, e letras confortáveis para os olhos.
 Recomendo a leitura para todos aqueles que já são fãs do rei de Aquilônia e buscam ter aventuras adicionais para a sua bagagem biográfica do herói. Caso queira conhecê-lo pela primeira vez sugiro que leia outras mídias, dê uma pesquisada no google e só depois se aventure nessa obra.

LEIA OUTROS POSTS:

8 comentários:

  1. Uma capa linda e uma ótima resenha, eu não leria por ser de um gênero que não me atrai muito mais com certeza uma boa recomendação.

    ResponderExcluir
  2. Que legal ficou sua resenha
    achei ótimo o livro meu marido é super fã do filme
    já me deu uma uma dica de presente
    sucesso

    ResponderExcluir
  3. Olá Bruno!
    Apesar de já ter assistido ao filme, nunca li a obra. Mesmo sendo riquíssima essa leitura, com grandes aventuras acho que não pegaria pra ler. Não faz muito o meu estilo pra leitura.
    No entanto, adorei a forma como elucida suas considerações.
    Beijos!

    Camila de Moraes.

    ResponderExcluir
  4. Oi Bruno, não sabia que existia este livro. Assim como você vi o filme, mas já tem um bom tempo. Apesar do enredo difícil, vou deixar a dica anotada.
    Bjs, Rose.

    ResponderExcluir
  5. Oii Bruno!
    Não conhecia o título até então, mas me parece, pela sua resenha, uma ótima indicação para quem curte o gênero. Infelizmente, não é meu caso. Ainda assim, notei vários pontos que agradaria fãs de histórias com essa temática. Já sei até para quais amigos posso indicar! :)
    Ótima resenha!

    ResponderExcluir
  6. Oie,

    Lembro que meus tios adoravam ler os gibis do Conan, mas nunca me atrai por essa história, o gênero não é o que eu curto...
    Mas até que gostei um cadinho da resenha e fiquei um pouco curiosa pelo livro, vou deixar aqui na lista dos TALVEZ!!!

    Beijokas!!

    ResponderExcluir
  7. Olá, tudo bem?
    Esse livro tem aquele jeito medieval que eu curto. Conan o bárbaro deve conter muita fantasia pela resenha, e é meu gênero favorito. É ruim quando a gente é obrigado a aceitar ou ao menos tentar aquele livro que o enredo não ta indo, não dá para processar e ta confuso. Já passei por isso.

    ResponderExcluir
  8. Olá Bruno, tudo bem?
    Amei a sua resenha e as fotos ficaramDic maravilhosas.
    Eu não conhecia a obra e seguindo a sua dica vou pesquisar outras obras antes de me aventurar nessa, mas confesso que me encantei com esse livro e com a edição belissima. Pretendo adquirir em breve
    Dica anotada
    Beijos

    ResponderExcluir

Muito obrigado pelo seu comentário, sua opinião é muito importante para deixar o blog na ativa! :D
Não precisa deixar o link do seu blog, caso tenha, pois farei questão de retribuir a visita.
Boa leitura!