13.3.17

[Resenha] Muncle Trogg - O Menor Gigante do Mundo

Autor (a): Janet Foxley
Editora: Intrínseca
Ano: 2011
Lido em:  fevereiro de 2017
Nº de Páginas: 224
Onde Comprar: SUBMARINO

 Os gigantes vivem no topo do Monte das Lamentações, escondidos dos humanos que estão lá embaixo. Mas nem todos são realmente grandes. Muncle Trogg, por exemplo, é tão pequeno que acaba virando alvo da zombaria dos outros. Chateado, ele decide descer a montanha e dar uma olhada nos tais Pequenotes, com quem dizem que se parece. E o que Muncle descobre é de fato surpreendente.


 O MENOR GIGANTE DO MUNDO nos apresenta a história de Muncle Trogg que é o filho mais velho da família gigante Trogg, mas por algum motivo desconhecido ele nasceu e cresceu tendo o tamanho normal de um humano ao invés de ser gigante e forte como todos da sua espécie. Por conta disso, ele sofre muito bullying na escola seja por parte dos valentões e professores - que o ignoram - seja por parte do seu irmão mais novo, o Gritt que o gosta de virar de cabeça pra baixo e tem brincadeiras violentas para o padrão humano.
 Os gigantes vivem no topo do Monte das Lamentações, mais especificamente dentro do vulcão que está inativo e por conta disso o local é bem quente e a cada dia esquenta mais. Mas eles não sabem disso.
Foto: Bruno Marukesu
 Antigamente, os gigantes caçavam, comiam e sequestravam os Pequenotes que nada mais são do que nós, humanos. Mas isso se tornou perigoso e proibido no reino pois os Pequenotes passaram a se defender usando mágica contida em seus livros. Quando isso ocorreu, os gigantes decidiram se isolar do mundo exterior e criaram o Monte das Lamentações. Mas o monte é tão perto dos humanos que me peguei pensando como que não houve uma invasão, os humanos já deveriam ter sacado que havia seres desconhecidos no vulcão. Isso foi uma falha que encontrei, mas acredito que nenhum jovem leitor possa se atentar a esse detalhe.
 Muncle acaba conseguindo ter contato com um Pequenote e vê o quanto se parece com eles em altura e isso o fascina ao mesmo tempo que desperta temor.
Foto: Bruno Marukesu
 O aniversário do rei está chegando e Muncle se apresentará com o pai numa demonstração de puro combate para poder ganhar a recompensa maior, mas no meio disso tudo o seu irmão chega com um presente proibido e a confusão se instala a partir desse episódio. Cabe a Muncle salvar todos e deixar o Monte das Lamentações e a anonimato.
 É muito interessante perceber o quanto os gigantes da Janet Foxley são desprovidos de beleza e inteligência. Apenas Muncle o Sábio Homem, conselheiro do Rei, são os provido de inteligência. Por parte concordei com a proposta mas fiquei muito incomodado com a idiotice dos gigantes e por vezes a insensibilidade deles principalmente para com os dragões que eles tem orgulho de domar por cortar suas asas para os mesmos não fugirem.
Foto: Bruno Marukesu
 A crítica contida na obra é extremamente valiosa e ajuda muito o jovem a perceber que é errado criticar o visto como diferente, que ser "anormal" na verdade pode ser muito vantajoso e que o normal não existe. Mesmo reconhecendo a importância dos temas não me senti muito confortável com o mundo criado pela autora, faltou aquela pitada especial para o livro me entreter por completo. Talvez tenha sido a simplicidade do enredo ou a ignorância da maioria dos personagens me fizeram não ter o livro em grande estima mesmo tendo devorado a obra em somente uma tarde.
 As ilustrações da obra são loucas e bizarras, a editora teve o cuidado em dar um ar chamuscado na maioria dos rodapés das páginas.
Foto: Bruno Marukesu
 Os capítulos são curtos, possuem letras grande e aliado às páginas amareladas com a escrita fluída da autora fazem qualquer um devorar a obra em poucas horas.
 Recomendo a obra para todos aqueles que buscam refletir sobre as diferenças, que gostam de ter assuntos sérios abordados em cenários leves e descontraídos. Viva a diversidade!

LEIA OUTROS POSTS:

9 comentários:

  1. Olá
    Que pena que o livro não agradou tanto assim, eu mesma nunca tive vontade de ler essa obra e olha que gosto bastante de livros infantis e infanto-juvenis.
    De toda forma sua resenha ficou magnífica e suas fotos maravilhosas também.
    Beijuh

    ResponderExcluir
  2. Oie amore,
    Pra ser sincera não me interessei pelo título não, desde a capa, até o conteúdo não me atraíram.
    Mesmo sabendo que tem toda uma crítica construída por trás da história, passo a dica dessa vez.
    Beijokas!

    ResponderExcluir
  3. Esse me pareceu aquele tipo de livro que divide comentários, por conta do conteúdo. Na verdade, acho que a questão é o publico alvo mesmo, nem eu sei se leria, mas indicaria para algum adolescente ou criança, pois na minha concepção, se encaixa perfeitamente nessa faixa etária.

    ResponderExcluir
  4. Olá! Nossa, é diferente. Jamais imaginaria uma história assim! Gostei, fiquei com dó dele, imagino como deve ser complicado ser o menor dos gigantes. Achei a premissa bem legal e pelo que percebi dá para tirar boas reflexões também, beijos!

    ResponderExcluir
  5. Oi Bruno, tudo bem?

    Acho esse livro muito fofo, é simplesmente lindo. A premissa do livro é bem bacana e ele foi feito para encantar quem tem o prazer de realizar a leitura. As ilustrações também estão lindas e o conjunto da obra é fascinante. Fiquei com gostinho de quero mais, sua resenha está perfeita! Amei! Já quero!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  6. Olá Bruno, tudo bem??
    Bom eu sinceramente não me senti cativada em ler o livro... ele não me despertou nenhuma vontade de ler, ainda mais porque não é muito o tipo de livro que leio... mas mesmo a história tendo as suas falhas é mais para o leitor jovem poder viajar.... e poder fazer a imaginação mesmo... é uma pena que não te prendeu tanto quanto você gostaria. Xero!

    ResponderExcluir
  7. Olá!

    Não conhecia esse livro, mas achei bacana até. Pena que você não curtiu em sua totalidade, mas é assim mesmo, com certeza um leitor mais jovem vai curtir.

    ResponderExcluir
  8. Oii, tudo bem?

    A sensação que tive com sua resenha é que esse livro é para crianças e adolescentes. E se for mesmo, então acho que os pontos que te incomodaram (a insensibilidade e burrice dos gigantes, por exemplo) não irão incomodar muito esses leitores. Mas se fosse eu lendo, provavelmente iria me incomodar também.

    Beijos

    ResponderExcluir
  9. Que graça esse livro! Não conhecia, mas já estou encantada. Acho maravilhoso quando encontro livros para o público juvenil que traga um forte teor crítico, sobretudo em se tratando de respeito às diferenças. Pena que para você ficou faltando aquela pitada especial, mas eu confesso que gostei muito da premissa. Ótima dica!

    Tatiana

    ResponderExcluir

Muito obrigado pelo seu comentário, sua opinião é muito importante para deixar o blog na ativa! :D
Não precisa deixar o link do seu blog, caso tenha, pois farei questão de retribuir a visita.
Boa leitura!