19.2.17

[Resenha] Brilho do Sol


Autor (a): Roseli Magro
Editora: Xeque-Matte
Ano: 2016
Lido em:  fevereiro de 2017
Nº de Páginas: 160
Onde Comprar: Xeque-Matte
Cortesia da editora

 Brilho do Sol é o nome de uma cidadezinha nordestina onde acontece a história de João, um menino de oito anos, que mudou a história do sertão de tal forma que nunca mais esse lugar voltará a ser o mesmo.
 No livro, a fome existe, é fato, e ela dói.
 Mas é fato também que o amor existe e ele é a estrutura para a felicidade. O amor ou a falta dele se materializam no bem contra o mal, uma constante luta durante toda a narrativa. Qual vencerá?

 BRILHO DO SOL conta a história do pequeno João, um garoto que nasceu do amor forte de Ana por Teovaldo. Ele nasceu numa casa pequena de barro batido construído por seu pai e desde antes do seu nascimento foi envolto de luz.
 De família humilde, João foi crescendo cercado de um amor incomum no Sertão visto que todas as famílias passavam necessidade e o amor era difícil de florescer.
 Com poucos anos de vida, esse guri pequeno presenciou um ocorrido que podia traumatizá-lo, mas isso não acontece. De cara percebemos que João é diferente dos outros, tem uma sabedoria que causa estranhamento e ninguém sabe de onde tal sabedoria surgiu pois seus pais mesmo humildes não tiveram tanta educação assim.
 Como toda diferença gera/atraí inveja, a família de João passa por grandes perrengues, além da fome que assola a família em Brilho do Sol. Entretanto, com a sabedoria de João eles conseguiram passar por todas essas situações de coração recheado de amor.
 Foi inevitável a minha impressão de que a história do João é uma releitura da caminhada de Jesus Cristo. Para quem é religioso a obra é um prato cheio de ensinamentos para nutrir a fé, e para quem é de crença diferente por gerar um certo incomodo. Foi essa sensação que senti (incomodo), mas mesmo ela estão presente ao meu lado não consegui largar a leitura e devorei a obra em somente um dia.
 É impossível não se ver torcer para que nada de ruim aconteça com o pequeno João e os momentos de tensão você já fica prevendo o pior, mas a autora conseguiu suavizar os cenários.
 Roseli Magro conseguiu criar personagens que despertam ódio em nossos corações mas me decepcionei em ver os seus destinos finais serem traçados de maneira bondosa, quase como se houvesse uma censura para finais realistas (pois sabemos que quase sempre pessoas ruins tem destinos ruins).
  É muito admirável o amor existente na família do João, sem sombras de dúvida é um belo exemplo a seguir.
 Uma crítica que me deixou muito chocado - por ser real e saber de casos - foi a cultura dos interiores nortistas e nordestinos do Brasil de colocar a mulher como inferior ao homem, de ter que obedecer ao que eles dizem e de ser sempre a culpada de o relacionamento do vizinho não estar dando certo. O choque me percorreu em vários momentos e a frustração foi tamanha em refletir que de fato isso acontece e que nossas avós podem ter passado por isso mas que não tem coragem de conversar sobre. Essa foi uma grande denúncia que a Roseli trouxe para discussão, fora a questão da fome.
 Outros pontos negativos que encontrei no enredo - além dos finais não realistas dos vilões - foram: uso de algumas palavras no diminutivo - que me incomodam em qualquer enredo -, sabedoria irreal de João que nem havia aprendido a ler ainda mas já conseguia cantar e compartilhar ensinamentos. E o último ponto negativo que esse foi o que me deixou muito frustrado: João saber criar canções com estruturas perfeitas no uso do português, nesses trechos eu ficava decepcionado pois se os pais deles nem falavam certo como que ele saberia formular as estrofes sem erros? Para mim, essas partes foram as menos realistas do enredo.
 Concluo dizendo que BRILHO DO SOL é uma leitura muito válida para os que buscam reafirmar a sua fé em Deus. Reflitam sobre suas vidas e procurem mudar o que de mal vocês sentem que fazem.

LEIA OUTROS POSTS:

34 comentários:

  1. Muito obrigada, Bruno, por essa resenha maravilhosa. Fiquei extremamente feliz por todas as suas colocações, inclusive os pontos negativos. Eles são muito importantes, pois são construtivos. Parabéns pelo capricho das fotos. Elas ficaram maravilhosas contrastando com o verde da grama. Fiquei enlouquecida quando as vi. Você é profissional ímpar. Fiquei muito emocionada com as suas palavras. Muito obrigada mesmo!!! Bjs

    ResponderExcluir
  2. Bruno!
    Acredito que alguns aspectos da sua análise devo questionar: primeiro a questão das pessoas más, terem um final bondoso. Nem sempre os 'vilões' se dão mal na realidade, na ficção é até diferente, mas temos vários exemplos na vida real de pessoas más que sempre se safam e continuam a viver bem, sem contar que, se é um livro de cunho religioso, temos de levar em conta o perdão.
    Quanto ao protagonista fazer canções com uso perfeito do português... você não acredita em autodidatas? E em milagres? Pelo que entendi, João era uma criança iluminada.
    Fato é que quero muito poder ler o livro, porque gosto quando os autores se utilizam de analogias e gosto de livros que trazem ensinamentos religiosos que nos engrandecem.
    “Saber encontrar a alegria na alegria dos outros, é o segredo da felicidade.” (Georges Bernanos)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP Comentarista de FEVEREIRO, livros + KIT DE MATERIAL ESCOLAR e 3 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa, Rudy! Fiquei impressionada com sua visão, mesmo sem ter lido o livro. Foi exatamente isso que tentei transmitir. Bjs

      Excluir
  3. Não conhecia o livro e nem o autor. Não sou muito chegada nesse tipo de história mas tendo uma oportunidade leio com prazer, principalmente se o autor é brasileiro. Gostei da resenha.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Maristela! Engraçado, o gênero de história que gosto é mais suspense, drama. Porém, por meu filho escrever ficção e fantasia, aprendi a gostar desse gênero. Se vc tiver uma oportunidade de ler Brilho do Sol, ficarei muito feliz em saber se vc gostou ou não. Bjs

      Excluir
  4. Para mim também e uma novidade esse livro, pois ainda não conhecia, porém me surpreendi com essa história que nos faz refletir em diversos assuntos, desde a nossa fé em Deus, a situação que a mulher passa por ser inferior ao homem. Tudo isso faz com que essa leitura seja interessante e nos toca. Com certeza quero ter a oportunidade de ler essa obra.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Lana, e eu ficarei muito feliz se vc puder ler Brilho do Sol. Fiquei muito feliz por poder escrevê-la. Bjs

      Excluir
  5. Gostei muito do livro e da resenha!
    Achei bem interessante do livro se tratar sobre o Nordeste e seus problemas que até hoje acontece. O João parece um garoto forte e cheio de esperança. Adorei do enredo se tratar de fé =)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Jaqueline! Como dizem, a fé move montanhas e precisamos tanto dela para nos mantermos de pé nessa vida cheia de perrengues né. Torço muito para que tenha um tempinho para ler Brilho do Sol. Bjs

      Excluir
  6. Já morei no sertão nordestino e já imagino os assuntos que o livro vem a tratar. Uma parte da resenha que chamou bastante a minha atenção foi: " a cultura dos interiores nortistas e nordestinos do Brasil de colocar a mulher como inferior ao homem", sim, infelizmente isso é a pura realidade. Cresci com minha mãe dizendo que eu deveria me submeter ao meu marido quando casasse, por sorte minha mente é parecida com a de João e eu sempre pensei mais a frente. Certamente, essa é uma leitura que valerá a pena ler!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Nayara! Realmente, a vida, no geral, não é fácil. Sabemos que o nordestino, ainda hoje, sofre por esse tipo de ação do ser humano. Não apenas o nordestino, mas em proporção maior lá. Ainda temos que trabalhar muito a mente do ser humano para que essa visão seja erradicada. Torço pra que você tenha um tempinho pra ler Brilho do Sol. Bjs

      Excluir
  7. Adoro autores brasileiros e com certeza vou ficar ansiosa para ler, essa resenha é maravilhosa e realmente para quem é de crença religiosa diferente é um ensinamento bom vou adorar ler.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Doralice! Fiquei muito emocionada quando a irmã de uma amiga leu Brilho do Sol e disse que transformou sua forma de ver a vida a partir do livro, que ficou melhor como pessoa. Até chorei! Vou torcer pra você ter um tempinho pra ler Brilho do Sol. Bjs

      Excluir
  8. O livro parecia que se tratava de algo menos polemico, mas pelo que vi tem muitos assuntos bem poleminos, pelo nome do livro e pela capa parecia uma historia bem "melosa" nao sei que expressao usar... hahah
    Mas eu gostei do enredo e me deixou muito interessado, já está na minha lista de desejados!

    ResponderExcluir
  9. Conheci a editora há pouco tempo e tinha me interessado por esse livro mas lendo a sua resenha eu perdi um pouco do interesse. Gostei de conhecer um pouco mais sobre o livro mas não pretendo realizar a leitura.

    ResponderExcluir
  10. Em alguns momentos achei que gostaria do livro, em outros já não sabia mais. Esse fundo religioso não me agrada, acho que o realismo está em pessoas ruins não terem destinos ruins. Justamente por não ter certeza do que imagino do livro, me interessei em ler.
    Patricia Queiroz

    ResponderExcluir
  11. Oiii Bruno, tudo bem?
    Que livro mais lindo menino, que pena ter esses pontos negativos, realmente costumam desvalorizar a leitura, mas mesmo assim pretendo ler.
    Beijinhos da Morgs!

    ResponderExcluir
  12. OOi, Bruno! Tudo bem?
    Não conhecia o livro e nem sua autora achei super interessante, pois nunca li nenhuma obra ambientada no norte ou nordeste.
    Parece ser uma obra que traz várias reflexões e críticas sociais, e isso desperta ainda mais minha curiosidade.
    Quanto aos pontos que te incomodaram, acho que não funcionariam da mesma forma comigo, o que é bom. haha
    Dica anotada!
    Beijoos!

    ResponderExcluir
  13. Olá Bruno!
    Não conhecia o livro e achei a capa tão linda.
    A sinopse e suas considerações me deixaram com vontade de ler e conhecer mais desse autor. Gosto bastante de livros que me fazem refletir e questionar, apesar de muitas vezes ler devagar esses tipos de livros justamente por esses motivos.
    Adorei a dica!

    Beijos!

    Camila de Moraes.

    ResponderExcluir
  14. Oi, Bruno!
    Fiquei encantada pela capa! Imagino que a realidade retratada no livro seja dura mesmo, mas confesso que tenho uma super queda para histórias assim protagonizadas por crianças. Mesmo com os pontos negativos que você trouxe, é um livro que eu leria.

    Beijos, Entre Aspas

    ResponderExcluir
  15. Oi, tudo bem?
    Não conhecia o livro e a premissa não me agradou, e essa questão de palavras no diminutivo me deixa mega irritada! Abandonei uma série por causa disso.
    Bjs

    ResponderExcluir
  16. 'Sertão visto que todas as famílias passavam necessidade e o amor era difícil de florescer.' como assim? Eu cresci no Sertão de Pernambuco e estou chocada com esse esteriótipo. O fato de passar necessidade evita que o amor floresça. Eu sou sertaneja e passei necessidades, privações, e por essa resenha fiquei com uma péssima impressão da obra.

    ResponderExcluir
  17. Oi, Bruno, tudo bem?

    Eu gostei da temática, raramente leio narrativas que se passam no Sertão. A história parece super emocionante e não me veio à mente ser uma releitura da vida de Jesus (especialmente porque, na Bíblia, a infância de Jesus basicamente não existe - não sou religiosa, nem tenho religião, mas foi o que li na Super Interessante). Discordo de você, a maioria das pessoas ruins só tem destinos ruins na ficção, porque se isso fosse empregado na realidade, por que teríamos guerra, rombos nas contas públicas, estupros, assassinatos etc?
    Acho válido você dizer que o personagem não tem verossimilhança na questão da sabedoria musical, mas também é válido lembrar que as pessoas têm habilidades diferentes. O fato de ele não saber escrever não limita o seu talento musical (é só lembrar de pessoas autistas, por exemplo, que têm geniais desempenhos em áreas específicas, mas têm limitações nas básicas/gerais).
    A capa é super linda, fiquei a fim de ler, por ter um protagonista na infância, leio muito poucos livros com protagonistas nessa idade.

    Love, Nina.
    http://ninaeuma.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  18. Ah, eu vi uma resenha desse livro recentemente e me interessei demais pela história.

    Interessante essa sua percepção sobre ser uma releitura da caminhada de Jesus, e talvez por isso, na sua crítica a respeito de como o menino conseguia ensinar, compartilhar e criar canções eu entenda que haja mesmo esse paralelo: menio filho de carpinteiro de uma cidadezinha esquecida, que ensinava nas sinagogas e fazia coisas extraordinárias.

    Bom, é só um pitaco, mesmo, porque ainda não li o livro para poder realmente falar com propriedade.

    Adorei a resenha. Bem honesta. :)

    ResponderExcluir
  19. Acredito que deva ser uma leitura gratificante e com boas reflexões, mas confesso que no momento não leria. O fato de você vê-lo como uma releitura dá caminhada de Jesus só mostra isso.
    Bjs

    ResponderExcluir
  20. Oi.

    Não conhecia o livro, fui conhecer a editora mês passado. Achei a capa do livro bem fofa e a história parece ser bem legal. Vou anotar o nome para ler depois. Não leio agora porque já tenho muuuuitos livros na fila.

    ResponderExcluir
  21. Olá, tudo bem? Não conhecia a obra, nem a editora, mas confesso que não seria uma leitura que gostaria de realizar. Achei bem espiritual ela, mesmo que não seja esse seu caminho, e os pontos negativos levantados são os que me incomodam em uma história. Gostei bastante da resenha sincera.
    Beijos,
    diariasleituras.blogspot.com

    ResponderExcluir
  22. Eu conhecia esse livro a pouco, ainda nem tinha lido resenhas. Alguns pontos me chamaram atenção. Mas fiquei com mal impressões em relação ao tema machismo. Talvez no Nordeste seja mais acentuado, o machismo, mas temos que ressaltar que isso é um problema social brasileiro muito arraigo. Da forma que você falou parece que o machismo não existe em outros contextos. Mas também não sei se foi o livro que passou essa impressão.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  23. Pode parecer engraçado, mas além do conteúdo religioso, o que mais me interessou não foi o que você gostou, foi o que você pontuou como negativo. Fiquei interessada a ler para ver se eu vejo o mesmo. rs Obrigada pela dica! Parabéns de verdade pela resenha maravilhosa. Não é todo resenhista que consegue fazer uma crítica negativa com tamanho respeito e hombridade. Amei!

    Eliziane Dias

    ResponderExcluir
  24. Oie!
    Nossa, adoro livros que mostram esse tipo de superação e uma história linda assim.
    Infelizmente, não é o tipo de livro que eu gosto de ler, por isso, vou deixar a dica passar por hoje :/

    beijos
    Livros & Tal

    ResponderExcluir
  25. Oi, tudo bem?
    Não conhecia o livro, mas achei bem bacana a sinopse e sua resenha. Não sou muito de ler livros com temas religiosos, mas esse me chamou a atenção! Adorei sua resenha! Dica anotada!

    ResponderExcluir
  26. Olá! Vi muita a divulgação desse livro, e li algumas resenhas. Acho ele interessante e a capa linda. Pena que você acho o finais dos vilões um ponto negativo por conta não ser realistas. Apesar disso que bom que é uma leitura válida. Beijos'

    ResponderExcluir
  27. Olá!
    Eu estou muito curiosa para ler esse livro, principalmente porque parece ser uma história muito emocionante e diferente das que estamos acostumados a ver no sertão nordestino. A edição da editora está maravilhosa, e espero poder adquirir o meu exemplar muito em breve.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  28. No meu ponto de vista religioso, João é um pequeno ser iluminado e que tem um "anjo de guarda" maravilhoso que faz com que ele tenha uma visão e uma compreensão do mundo baseado em amor e perdão. Visando o perdão, é compreensível que o mal acabe sendo perdoado e somente o bem prevaleça. Gostaria muito de ler o livro. Tenho certeza que será uma leitura muito edificante.

    ResponderExcluir

Muito obrigado pelo seu comentário, sua opinião é muito importante para deixar o blog na ativa! :D
Não precisa deixar o link do seu blog, caso tenha, pois farei questão de retribuir a visita.
Boa leitura!