12.2.17

[Primeiro Episódio] Powerless



Ano: 2017
Duração de Episódio: 45 minutos
Criador: Jeremy Slater
País: EUA
Gêneros: Horror e Thriller
Número de Episódios: EM EXIBIÇÃO
Nota: 

SINOPSE:
 Em um mundo em que a humanidade precisa lidar com os danos colaterais de super-heróis e supervilões, Emily Locke (Vanessa Hudgens) começa seu primeiro dia de trabalho como diretora de pesquisa e desenvolvimento da Wayne Security, uma subsidiária da Wayne Enterprises que se especializa em desenvolver produtos para que os indefesos cidadãos se sintam um pouco mais seguros. Cheia de confiança e grandes ideias, Emily rapidamente aprende que suas expectativas são muito maiores do que as de seu novo chefe (Alan Tudyk) e colegas de trabalho. Cabe a ela liderar a equipe em direção ao seu pleno potencial e à percepção de que não é preciso superpoderes para ser um herói.

 E mais uma nova série de TV situada no mundo dos super-heróis da DC estreia e diferente das outras que são produzidas pela CW (ARROW, DC'S LEGEND OF TOMORROW, THE FLASH, SUPERGIRL), POWERLESS vem com um ar leve e descontraído, sem conter aquela carga dramática presente nas séries da CW, mas o que estranha é que ele é da emissora NBC e para os seriadores de plantão a ficha cai logo quando o episódio termina. No decorrer de todo episódio sentia que a série tinha um ar muito parecido com outra e ao pesquisar a emissora criadora dela descobri que POWERLESS nada mais fez do que ressuscitar o tom presente na série A TO Z que foi cancelada logo em sua primeira temporada. Ao que tudo indica, a NBC quer fazer sucesso a base do título de série da DC. Pera.. Vamos tirar o foco disso pois a análise do episódio não se referente a qual série pertence a tal emissora e bláh bláh bláh, não é mesmo?
 POWERLESS conta a história de Emily Locke, uma guria que acabou de se mudar para a cidade de Charm City a fim de ajudar as pessoas a se protegerem dos ataques dos super-heróis e vilões. Ela é fascinada pelos heróis mas por não ter nenhum poder quer a qualquer custo fazer a diferença da sua maneira mesmo sendo uma humana qualquer.
 Ela foi contratada como diretora de pesquisa e desenvolvimento na Wayne Security, uma subsidiária da Wayne Enterprises, onde o seu papel é motivar os funcionários a criar uma nova grande ideia para que o seu chefe, Van Wayne, mostre ao seu primo Bruce Wayne e ele fique admirado. Só de saber que essa é a única motivação para a empresa existir me decepcionou demais e fiquei WTF????
 Van é um personagem com mente pequena e nada aproveitável que só pensa em sair de Charm City e ir para a tão sonhada Gotham e fica choramingando por ter perdido a chance graças a outra empresa.
 No decorrer de todo o episódio piloto vemos Emily a todo custo tentar motivar a sua equipe a criar uma nova alternativa de proteção para os humanos contra os vilões. Infelizmente, a atriz Vanessa Hudgens não ajuda a criar empatia pela personagem que se torna apenas mais uma no mundo das séries, uma para ser facilmente esquecida.
 A série tem um ar tão besta que não é possível esperar muita coisa dele, sinto que vai sobreviver a muito custo a essa season e se for renovado é por simplesmente ter o título de uma série baseada no universo da DC.
 Os efeitos especiais são brochantes e nada reais, você sabe que foi feito em computação gráfica e isso entristece.
 A atuação de alguns atores lembra muito a robôs, parece que a formula já desgastada de fazer humor em série foi injetada em peso nessa e o fundo musical nada contribui, somente irrita. Mesmo tendo Vanessa Hudgens para atrair o público jovem não convence, ela ainda fica com o ar estagnado de personagem Gabriella Montez, papel que ela fez na trilogia musical High School Musical.
 O lado positivo é que POWERLESS faz muita referência a super-heróis e vilões da DC chegando a té a aparecer alguns como Raposa Escarlate, Jack O'Lantern e Coringa. O mais incrível é que no final do episódio tem uma pista muito evidente de qual é a verdadeira identidade do Batman e só por conta dessa cena, que me fez soltar altas gargalhadas, irei continuar dando oportunidade a série para ver se a mesma melhora.
 Quando essa season terminar volto para trazer as minhas impressões definitivas a cerca de POWERLESS, se bem que acredito que somente essa season existirá.

OBS: Tadinha da Cristina Kirk que só pega personagem de escritório (ela foi do elenco de A TO Z).

LEIA OUTROS POSTS:

10 comentários:

  1. Olá Bruno,
    Não sei por que mas já quando comecei a ler achei a série um pouco estranha, só pela suas palavras parece-me ser mal produzida. Mas como só podemos criticar algo quando possuímos conhecimento irei ver o episódio piloto haha
    Beijos.

    ResponderExcluir
  2. Hey, Bruno!
    Eu não sou fã de super-heróis, tampouco de séries/filmes sobre esse tema.
    E, pela sua resenha, já fiquei com preguiça dessa série. Não que a resenha não esteja boa, porque está, mas porque realmente o enredo não é pra mim.
    Vou deixar passar a dica.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  3. Olá!
    Confesso que não gosto muita da ideia de assistir séries de Super-heróis, mas adoro ver os filmes. Não tenho paciencia de ficar longo tempo, ou longo prazo assistindo algo que no final possa me decepcionar. Foi assim com Smallville, adorava a série, mas o final pra mim, foi um fiasco. Por isso prefiro os filmes, se não agradou, não perdi tanto tempo assistindo e deixo passar a sequencia, caso haja.
    Mas, ainda assim, foi bom conhecer mais uma série. Quem sabe um dia...quem sabe.
    abs
    Ni
    Cia doLeitor

    ResponderExcluir
  4. Oiee
    Ainda não conhecia essa série, e já que ultimamente estou com vontade de assistir uma série nova, vou deixar essa anotadinha aqui.
    Bjs

    ResponderExcluir
  5. Mano, parece que criaram uma série apenas por criar. Que motivo tosco para uma empresa e só de conhecer os lados negativos dessa série, já não gostei. Como você disse: "...sinto que vai sobreviver a muito custo a essa season e se for renovado é por simplesmente ter o título de uma série baseada no universo da DC."

    ResponderExcluir
  6. Olá! Já vi essa série sendo anunciada. Então, O Universo da DC é bem diferente da Marvel, a DC é mais sombria, tanto que vemos isso em várias histórias suas. A Marvel tem uma pegada mais descontraída. Quando tenta, deixar algo no universo DC mais descontraído, fica estranho rsrsrs Ainda mais quando é produzida por outra emissora. Beijos!

    ResponderExcluir
  7. Oi tudo bom, eu fiquei bem confusa quando vi o gênero e o cartaz da série. Horror/thriller com esse poster de comédia no sense dos anos 90 já não me anima, porque não curto comédia, o elenco também não despertou meu interesse e ver o seu ponto de vista em relação a ela me desanima mais ainda. Eu não conhecia a série, mas mesmo amando o universo DC eu passaria, acho que essa ai nem meu marido encara. Hauauhauha
    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Oie
    Nossa, Vanessaaaaaa hahah quanto tempo não vejo essa atriz. Muito legal o enredo parece ser mas não é o tipo de série que me atrai então deixarei a dica passar e parabéns pela sinceridade na resenha

    beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Eu achei o trailer legal, mas não me chamou atenção não. Eu tô fugindo de série que envolva super heróis de qualquer tipo.

    ResponderExcluir
  10. Oi, tudo bem?
    Gosto de séries com um toque de thriller bem bacana! Porém vou ver se dou uma chance a ela, não estou afirmando, mas irei tentar, pelo fato de ser de super heróis e olha, eu não assisto tantas, viu? HUAHAUAHAUAH, apenas Supergirl e Flash mesmo, que são uns amores!

    Abraços,
    Lu - @justificou

    ResponderExcluir

Muito obrigado pelo seu comentário, sua opinião é muito importante para deixar o blog na ativa! :D
Não precisa deixar o link do seu blog, caso tenha, pois farei questão de retribuir a visita.
Boa leitura!