10.10.16

[Resenha] Sevenwaters - Filha da Floresta

Autor (a): Juliet Marillier
Editora: Butterfy
Ano: 2012
Lido em: outubro de 2016
Nº de Páginas: 608
Onde Comprar: SUBMARINO
Livro recebido em parceria com a editora

 O domínio de Sevenwaters é um lugar remoto, estranho, guardado e preservado por homens silenciosos e criaturas encantadas, além dos sábios druidas, que deslizam pelos bosques vestidos com seus longos mantos...
Passada no crepúsculo celta da velha Irlanda, quando o mito era lei e a magia uma força da natureza, esta é a história de Sorcha, a sétima filha de um sétimo filho, o soturno Lorde Colum, e dos seus seis amados irmãos, vítimas de uma terrível maldição que somente Sorcha é capaz de quebrar. Em sua difícil tarefa, imposta pelos Seres da Floresta, a jovem se vê dividida entre o dever, que significa a quebra do encantamento que aprisiona seus irmãos, e um amor cada vez mais forte, e proibido, pelo guerreiro que lhe prometeu proteção.

 FILHA DA FLORESTA tem como protagonista a jovem Sorcha de Sevenwaters. Ela é a sétima filha e caçula. Ela cresceu sem os cuidados da mãe que faleceu logo após pari-la mas sem antes pedir para que os sete irmãos vivessem fortes e juntos.
 Sorcha e os outros irmãos - Liam, Diarmid, Conor, Cormack, Finbar, Padriac - possuem uma ligação tão vital que todos sentem quando um está ferido emocionalmente ou fisicamente. Finbar é o irmão por quem Sorcha tem mais apresso e o elo mental é mais concentrado, um consegue ler a mente do outro, é uma telepatia que eles não compartilham com os outros irmãos.
 O enredo se passa na isolada província de Sevenwaters tendo a proteção da floresta como muralha, quem adentra ela sem saber para onde quer ir, e procurando maldade, perde-se, ao voltar encontra-se num estado letárgico.
 Sorcha e os irmãos foram criados para defender a província e nunca chegar perto da floresta pois seres mágicos a habitam.
 O pai deles, e chefe da província, chama-se Lorde Colum, é extremamente rígido, a feição pelos filhos limitasse a dar um sorriso para o filho mais novo - Padriac - e inspecioná-los rapidamente quando volta de suas campanhas de guerra contra os bretões. Colum parece estar sempre irritado com Sorcha e Finbar, pois ambos lembram muito a sua falecida esposa. Essa atitude me incomodou bastante, ele não é um pai, é um chefe, e os filhos são seus soldados e isso é frustrante e triste de perceber.
 O pano de fundo da história é a guerra da Irlanda contra a Bretanha por causa de uma ilha considerada sagrada pelo povo irlandês. Os bretões tomaram essa ilha e uma guerra se instalou, perdurando por anos. Sorcha e os irmãos cresceram sendo ensinados a odiar os bretões, a vê-los como bárbaros e nunca ser piedosos com eles.
 No decorrer dos capítulos, acompanhamos o crescimento de Sorcha e os irmãos, vemos o momento em que ela passa a ser considerada enfermeira na província. Os dias são felizes em Sevenwaters quando o Lorde Colum está longe em batalhas, a administração é bem sucedida nas mãos dos filhos, os habitantes recebem aquilo que merecem, sem juros, e os conflitos são solucionados rapidamente com as duas partes saindo satisfeitas nos acordos. Um dia, Colum volta trazendo uma mulher e a anuncia como sua noiva e é nesse momento que Sorcha e os irmãos sofrem um tremendo abalo em suas almas.
 De uma hora para outra vemos a noiva, Lady Oonagh, se tornar mulher de Colum e passar a influenciar o marido em suas decisões dentro da província. Ela passa a destruir toda a calma e felicidade que tanto Sorcha e os irmãos batalharam para nutrir no território de Sevenwaters. Sorcha é proibida de ter sua horta e instrumentos de cura e quando eles estão prestes a desmascarar a mulher para o pai acabam sofrendo uma terrível maldição. Sorcha é a única que pode livrar os irmãos amaldiçoados mas para isso terá que permanecer em silêncio e ferir as mãos até o momento de libertá-los.
 Foi muito difícil acompanhar o quanto Sorcha teve que sofrer para tentar libertar os irmãos, as provações que passou não desejaria ao meu pior inimigo. Desde o início da obra, ela demonstrou ser uma personagem forte e determinada, e isso nos é percebido no decorrer do enredo. Não tem como não admirar sua força, tornou-se uma das minhas personagens favoritas no mundo literário!
 Cada irmão é bem descrito, tive grande simpatia por Conor mesmo com Finbar tendo destaque nos pensamentos de Sorcha. Sim, a narrativa é em primeira pessoa, o que torna as cenas difíceis de digerir mais brutais.
 Os cenários e as sensações, assim como a personalidade de cada irmão, são muito bem detalhadas e descritas, fica fácil imaginar a calmaria na beira de um lago, a sensação de frio dentro de uma caverna enquanto acontece uma tempestade do lado de fora, um espinho sendo penetrado no dedo.
 Só tenho elogios para a obra, mas preciso expor um ponto negativo: o livro não é fino, tem 608 páginas, e senti que foram muitas informações abordadas, tive a impressão que a Juliet Marillier gostou tanto de escrever o enredo que nem se policiou para a sensação que transmitiria ao leitor. O livro é cheio de material e tudo me pareceu essencial, poderia ter sido dividido em dois, seria a alternativa mais prazerosa para não deixar a leitura cansativa. Juliet tem uma escrita fluida e boa de ler, se não fosse por isso com toda a certeza demoraria muitas semanas para concluir a leitura.
 A capa do livro não me agradou, mas chega num momento do enredo que faz total sentido ter essa guria na capa. Os capítulos são grandes, as folhas são amareladas e a fonte das letras são grandes, o que ajuda a proporcionar uma leitura rápida e eficiente. No começo do livro tem um mapa que nos situa bem e logo na página seguinte um campo intitulado Nota da Autora dedicado a significados e pronúncia de alguns termos que topamos no decorrer da leitura da obra.
 Filha da Floresta não possui somente um clímax. Não, possui vários mini clímax que em determinado momento explodem para o grand finale. Se você procura um livro recheado e magia e superação num mundo fantástico então não perca a chance e se aventura na província de Sevenwaters.

OBS = livro lido para o Desafio #Eu Li 2016. <2º ITEM>


LEIA OUTROS POSTS:

4 comentários:

  1. Oi, Bruno! Eu amei esse livro, mesmo sendo enorme. Realmente a Sorcha é muito forte, também se tornou uma das minhas personagens femininas preferidas. Quero muito ler os próximos livros!

    Beijos, Entre Aspas

    ResponderExcluir
  2. Já tinha ouvido falar deste livro e parece ser realmente muito bom,com aventura,magia e um enredo bem envolvente.Amei sua resenha,vou adicionar a minha lista de leitura.Este livro faz parte de uma trilogia?Bjss.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, Jennifer. Uma trilogia de quatro livros,até o prezado momento. ashuasahu
      Leia. A leitura é muito boa!

      Excluir
    2. Aah simm kk.Parece ser muito bom mesmo! :D

      Excluir

Muito obrigado pelo seu comentário, sua opinião é muito importante para deixar o blog na ativa! :D
Não precisa deixar o link do seu blog, caso tenha, pois farei questão de retribuir a visita.
Boa leitura!