21.8.15

[Resenha] O Pacto

Autor (a): Joe Hill
Editora: Arqueiro
Ano: 2010
Lido em: agosto de 2015
Nº de Páginas: 320
Onde Comprar: SUBMARINO

 Ignatius Perrish sempre foi um homem bom. Tinha uma família unida e privilegiada, um irmão que era seu grande companheiro, um amigo inseparável e, muito cedo, conheceu Merrin, o amor de sua vida.
Até que uma tragédia põe fim a toda essa felicidade: Merrin é estuprada e morta e ele passa a ser o principal suspeito. Embora não haja evidências que o incriminem, também não há nada que prove sua inocência. Todos na cidade acreditam que ele é um monstro.
Um ano depois, Ig acorda de uma bebedeira com uma dor de cabeça infernal e chifres crescendo em suas têmporas. Descobre também algo assustador: ao vê-lo, as pessoas não reagem com espanto e horror, como seria de esperar. Em vez disso, entram numa espécie de transe e revelam seus pecados mais inconfessáveis.
Um médico, o padre, seus pais e até sua querida avó, ninguém está imune a Ig. E todos estão contra ele. Porém, a mais dolorosa das confissões é a de seu irmão, que sempre soube quem era o assassino de Merrin, mas não podia contar a verdade. Até agora.
Sozinho, sem ter aonde ir ou a quem recorrer, Ig vai descobrir que, quando as pessoas que você ama lhe viram as costas e sua vida se torna um inferno, ser o diabo não é tão mau assim.

 Ignatius Perrish, Ig, perdeu o grande amor de sua vida e de uma forma trágica.
 Merrin, sua namorada, foi encontrada morta na floresta e o pior, com sinais de estrupro. E adivinhem que é o principal suspeito? Sim, é o Ignatius. Isso se deve porque primeiro, ele era o namorado de Merrin, e segundo porque havia discutido na noite anterior a sua morte numa lanchonete.
 Mas Ign não matou sua amada. Ele nunca conseguiria fazer algo assim. Ele é o tipo de personagem que não faz mal nem a uma mosca. É contra a sua personalidade machucar alguém. Ele só discutiou com Merrin porque ela estava terminando com ele.
 Já se passou um ano e Ig acorda na cama de Glenna com que passou a morar alguns meses. Ele está de ressaca, mas é desperto ao perceber um par de CHIFRES em sua cabeça. Todos temos que concorda que isso é algo bem estranho de acontecer, né? Há menos que ele tenha feito emplantes na testa na noite anterior, o quê não aconteceu.
 Ele sai do banheiro e vai conversar com Glenna e o diálogo é um dos mais estranhos porque ela parece não perceber os chifres e faz perguntas a ele como se pedisse permissão.
 Ig sai e o dia inteiro é incomum. Ninguém dá importância aos chifres e na presença do Ig parecem confessar os seus desejos mais bórbidos como se estivesse falando sozinhos. Claro que no final ficam pedindo a permissão dele para praticar as suas ações nada ortodoxas, ou recomendadas. Logo, é de se supor que Ig vai tentar descobrir quem matou Merrin, não é mesmo? Se você não suspôs, vai passar agora. kkk
 Tentei começar lendo a primeira obra escrita do Hill, A Estrada da Noite, mas desisti. Já não tinha mais vontade de ler algo do autor, mas me forçei a tentar com O Pacto, afinal eu tinha visto a adaptação cinematográfica, gostado e criava esperanças de que o livro fosse melhor. E ele o foi, em partes.
 É palpável a evolução na escrita do Hill. Definitivamente ele evoluiu muito do seu primeiro livro para esse segundo. Entendo agora o seu grande sucesso.
 A trama é muito bem construída e os personagens destacados são bastante construídos. O autor soube criar O pior vilão da face da terra. Sério. Em todos esses anos de leitura nunca me deparei com um vilão que me fizesse alimentar um ódio tão grande mesmo após o término da leitura. Eu tenho que dar os meus parabéns por isso ao Joe Hill, e também uns tapas por ter criado um personagem FDP como esse.
 Infelizmente, o assassino da Merrin fica óbvio logo nos primeiros capítulos e isso me entristeceu por demais. Mas o final do livro é tão estranho que você fica com um nó na garganta desejando uma continuação, que não deve haver.
 Joe Hill soube muito bem escrever esse thriller. Tem certas cenas que são descritas de forma tão crua que você fica chocado e pensa: "isso é possível mesmo?????"
 Quanto ao livro físico, a capa dele é linda por demais. Infelizmente, fizeram uma nova com o poster do filme e mudaram o nome do livro. Não encontrei nenhuma falha gramatical e fiquei agradecido por isso.

 O livro é dividido em quatro partes e os capítulos são curtos, o que possibilita uma leitura mais fluída. As páginas são amareladas e a fonte das letras são pequenas, mas que não incomodam a sua vista; você consegue ler na mesma velocidade tanto de dia quanto de noite. Meus singelos parabéns a editora Arqueiro pelo trabalho editorial desse livro.
 Recomendo esse livro aqueles que amam thrillers, com romance incrustado no meio, e cenas de fazer os de estômago fraco vomitarem. ^^

 P. S. = Esse livro conclui o tema de julho do desafio I Dare You. Finalmente tô ficando em dia com esse desafio. kkk


LEIA OUTROS POSTS:

3 comentários:

  1. Nossa, não sabia que o filme era baseado no livro, que legal!
    Excelente resenha, parabéns :D

    http://madminds.weebly.com

    ResponderExcluir
  2. Ótima resenha. Além do enredo é muito bom encontrar um livro bem editado, com o respeito que o leitor merece.

    atraentemente.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Eu sou aficionada pelo pai dele rs Então claro que li esse e também assisti o filme, que achei até divertido e interessante, eu olhava e via o HP. kkkkk
    Eu tenho uma relação de amor e ódio com Joe Hill, toda vez que termino um livro dele, eu digo que não vou ler outro. mas... (mentira) Você já leu dele Nosferatu (NOS4A2)? É o melhor. :)
    Ótima resenha. bjs

    ResponderExcluir

Muito obrigado pelo seu comentário, sua opinião é muito importante para deixar o blog na ativa! :D
Não precisa deixar o link do seu blog, caso tenha, pois farei questão de retribuir a visita.
Boa leitura!