8.10.12

Coisas Fragéis {Livros ao Vento#7}



Editora: Conrad Editora do Brasil
Autor (a): Neil Gaiman
Ano: 2010
Nº de Páginas: 206
Skoob
***

 *Sinopse:
Em Coisas Frágeis, Gaiman mostra que seu talento como contador de histórias funciona perfeitamente no reino das narrativas curtas. Neil Gaiman escreve com desenvoltura sobre os mais diversos universos - sejam criados por outros autores (com contos que aludem aos mundos de Sherlock Holmes, Matrix e Nárnia) quanto seus próprios, como no conto "O Monarca do Vale", que tem como protagonista o personagem Shadow, de Deuses Americanos.

Os nove contos de Coisas Frágeis trazem Gaiman abordando os mais diversos temas, misturando puberdade, punk rock e ficção científica em "Como Conversar com Garotas nas Festas"; combinando o Sherlock Holmes de sir Arthur Conan Doyle com o terror de H. P. Lovecraft em "Um Estudo em Esmeralda"; extrapolando o mundo de Matrix em "Golias", inspirado no roteiro original do primeiro filme; ou mesmo presenteando a filha mais velha com um conto fantástico sobre um clube de epicuristas em "O Pássaro-do-Sol". Coisas Frágeis é um tratado prático de como escrever boas histórias - histórias que, como diz a introdução do livro, "duram mais que todas as pessoas que as contaram, e algumas duram muito mais que as próprias terras onde elas foram criadas".
***
" Ele abriu caminho no quintal tomado pelo mato. A porta da casa praticamente se desintegrara. Ele parou na entrada, hesitante, perguntando-se se deveria fazer aquilo. Sentia cheiro de umidade, podridão, e mais alguma coisa. Pensou ouvir algo se mexendo dentro da casa, no porão ou no sotão. Uma agitação, talvez. Ou um salto. Er difícil saber.
 Finalmente, ele entrou."
                                                                                                                                                   Pg. 57/58

 
Como vocês sabem, eu não sou acostumado às escritas com palavras obscenas e de baixo calão, mas eu tive que suportá-las para ler esse livro que não apostava nada. Acreditava que ele séria uma droga só pelo nome “Coisa Frágeis”. Que coisa é essa?
 Mas percebi que o título se encaixa perfeitamente com os contos de tirar o folego que Gaiman inventou. Uma vez, alguém me disse que para ler realmente um livro você precisa se desgrudar de crenças e imagens pré-estabelecidas para poder, afinal, entender a essência das historias.
 Foi exatamente o que fiz.
 Nunca tinha lido nada escrito por Gaiman, mas depois desse livro, ou correr a procurar de outros escritos dele.

*O que eu achei dos contos?
- Um Estudo em Esmeralda –
 Esse conto foi bem a estilo Agatha Christie e comecei a gostar da historia perto do fim. Decepcionei-me um pouco com Gaiman porque senti que o conto deveria ter sido mais longo, pois o fim foi uma droga. Parecia um conto onde somos obrigados a fazer, na escola, a fim de entregar a professora e sair cedo. Decepcionante.
- A Vez de Outubro –
 Foi de cara o conto que amei ler. É bem estilo a “O Menino do Dedo Verde”. Tudo foi gostoso de ler. Amei principalmente como os meses se parecem pessoas, conversando entre si. Esse é um conto que crianças, jovens, adultos e idosos entendem. O cenário que Gaiman criou foi simples, mas ao mesmo tempo mágico. O fim se encaixou, como uma luva na mão, prendendo a atenção do leitor que muitas vezes é perdida pela escrita ser ruim. O que, graças aos céus, não foi o caso de Gaiman. Ele deixou no ar um gostinho de quero mais e quem leu (ou vai ler) esse conto concordara comigo que deveria ser um romance e não um mísero conto que faz você ter frio na barriga por não saber o desfecho da historia.
- Lembranças e Tesouro –
 Esse foi o conto que, por muitos momentos, pensei em não lê-lo pelo fato (que todos já devem estar manjados de saber) de usar cenas e palavras obscenas. Gaiman revelou uma das facetas que os humanos são capazes de criar para realizar os seus mais mórbidos desejos. Sinceramente, espero nunca mais lê-lo.
- Os Fatos no Caso da Partida da Senhorita Finch –
 O que foi que deu em você, Gaiman? Esse conto não tem pé nem cabeça. Como a senhorita Finch foi com a trupe do circo se os desprezava? (Ops. SPOILLER!!!)
 Se o intuito da história era dar medo e suspense, Gaiman, você errou tudo. Senti-me como um bobo ao ler uma historia criada por um (a) filhinho (a) de mamãe, que por não conhecer a realidade do mundo, sonha que tudo é mágico, perfeito, fácil e feliz (sem ofender a essas pessoas). Eu sou do tipo sonhador, mas esse conto nem assustaria a minha prima que acabou de sair do berço. Creio que não existe conto mais entediante e amador do que esse.
- O Problema de Susan –
 Tentei lê-lo sem me recorrer à história de Nárnia, mas não deu. Esse conto parece-me que foi feito por um estudante nerd e tarado, que por não ter namorada, decidiu inventar uma fanfic hentai a fim de expressar no papel as suas fantasias sexuais. Horrível conto. Simplesmente intragável.
- Golias –
 Muito confuso foi esse conto, enquanto eu o lia. Pelo que entendi, a terra estava sendo atacada por alienígenas. Bem estilo a ”Matrix” com um Q de A Guerra dos Mundos. No fim, me senti triste e horrorizado, pois o homem escolheu um fim feliz para a sua insignificante vida, por um tempo.
- Como Conversar Com Garotas em Festas –
 Gaiman tentou (acho eu), mostrar como pode se tornar fácil entender o que as mulheres falam e pensam. Eu, como sendo exímio amigo (na maioria) de garotas, me senti ofendido. As garotas não são difíceis de lidar. São alguns garotos, que por se sentirem inseguros (ou muitas vezes nem se importarem), não conseguem manter um bom dialogo com elas (não vou tocar mais nesse assunto). Péssimo tema Gaiman para se abordar em um conto. Você serve melhor como escritor de fantasia∕terror∕romance do que psicólogo de livros de autoajuda.
- O Pássaro-do-sol –
 Excelente. Senti-me num mundo mágico onde a irrealidade toma conta de tudo. Onde o impossível é acessível. Gaiman mostrou que existe cada doido e maníaco nesse mundo que nos surpreenderíamos caso eles fossem estudados psicologicamente e cientificamente. Fiquei desnorteado pelo conto ser um conto, fora que ele é muito bom e deveria ter uma continuação. A morte pareceu ser uma antiga amiga que encontramos de vezes em quando, pelas vielas do mundo.
- O Monarca do Vale –
 Esse conto deveria ser um romance. Muitas perguntas ficaram sem respostas. Alguns dos fatos se tornaram toscos que somente uma explicação detalhada poderia desvendá-los em seu amago. O cenário é vago e os personagens completamente estranhos. Adorei por trazer a vida de um mochileiro (que eu ainda vou ser um dia) nas cidades pequenas e longínquas que pedem para ser exploradas, e mostra o quão perigoso pode se tornar esses caminhos.
***
 Sem mais delongas, Coisas Frágeis é uma boa pedida para quem está com uma tiriça (termo popular) de ler livros grossos e de enredo bem trabalhado. Então, Peregrinos, o que estão esperando para descobrir as Coisas Frágeis que guardam, na essência, os seres humanos e inumanos?
                                                                                                                                                    Nota: 9,0
 Music List: 
Cry For The Moon - Epica
Quietus - Epica
Enjoy The Silence – Lacuna Coil
Losing My Religion – R. E. M
Nemo – Nightwish

                                                                             Comentem. Isso faz um bem danado para mim! Bjs!!!:D

LEIA OUTROS POSTS:

9 comentários:

  1. Eu tenho esse livro aqui, e o outro depois desse, mas acredita que nunca tive curiosidade de ler?
    Nem sabia que era livro de contos rsrsrs

    Depois que li Vento Distante comecei a achar contos bacanas, mas os desse livro parecem meio "diferentes"

    Acho que os livros desse autor, pelo menos a maioria, são todos nesse estilo diferentão. Já li 2 livros dele e o unico que curti foi Coraline rsrsrs

    Um dia leio esse pra ver se vou pensar do mesmo jeito que vc

    Bjokas
    Flávia - Livros e Chocolate

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esses contos são estranhos mesmo. Não há nenhuma ligação entre eles e os personagens são solitários (na minha opnião). Já li Coraline à anos atrás e não me lembrava que era o Gaiman o autor. Obrigado por me lembrar Flavia e continue sempre por aqui. Bjs!!!

      Excluir
  2. nunca li esse livro, achei bem interessante viu.
    na verdade nem conhecia o livro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Para falar a verdade nem eu. Fui pelo impulso e comprei no Submarino, mas não me arrependo. Os contos são estranhos e sobrenaturais (o que eu adoro). Bjs!!!

      Excluir
  3. adorei a resenha. tô louca por esse livro, estou só esperando uma promoção para poder compra-lo shauhsau
    beeijo!

    da uma forcinha?
    livrokawaii.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. Nunca li e nem tinha interesse. gostei do que você disse... Bom se vc não gosta de palavras de baixo calão, não leia 50 tos de cinza... Palavrões vc vai ouvir direto.. asokdoaskd é engraçado sabe a chamada vergonha alheia? aksokao abraço

    Me visita?
    Guilherme Kunz
    www.tematoa.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  5. Apesar de você ter ficado receoso, parece mesmo que foi uma boa leitura. Eu também não gosto de histórias com palavrões, não acho que precisa disso ou de cenas de sexo explícito para ser conteúdo adulto, mas suporto, assim como você fez. Temos mesmo que considerar cada história como tendo seu próprio contexto, e isso realmente independe do nosso.

    Não fiquei muito interessada na obra, não. Mas acho que seria uma experiência nova e enriquecedora para mim. Obrigada pela dica e pela resenha/opiniões.

    PS. Tem sorteio da "Série Cinquenta Tons de Cinza" em meu blog, completa!

    Beijos,

    Isie Fernandes - de Dai para Isie

    ResponderExcluir
  6. Respondi seu coments da minha caixa de correio 12 ... abraços

    Me visita?
    Guilherme Kunz
    www.tematoa.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  7. tenho muita vontade de ler esse livro! ainda mais por todas essas influências do autor. :)

    ótima resenha, bruno.

    ResponderExcluir

Muito obrigado pelo seu comentário, sua opinião é muito importante para deixar o blog na ativa! :D
Não precisa deixar o link do seu blog, caso tenha, pois farei questão de retribuir a visita.
Boa leitura!